Alckmin anuncia filiação no PSB, após flertar com PSD, PV e Solidariedade

Continua depois da publicidade

O ex-governador de São Paulo e ex-prefeito de Pindamonhangaba, Geraldo Alckmin enfim se decidiu. Após flertar com as legendas do PSD, de Gilberto Kassab, PV, de José Luiz Penna, e Solidariedade, Alckmin anunciou que se filiará ao Partido Socialista Brasileiro, o PSB, legenda que tem entre seus líderes o ex-vice-governador de Alckmin, Márcio França.

“O tempo da mudança chegou! Depois de conversar muito e ouvir muito eu decidi caminhar com o Partido Socialista Brasileiro – PSB. O momento exige grandeza política, espírito público e união”, escreveu Geraldo Alckmin em suas redes sociais na manhã desta sexta-feira, dia 18.

A filiação do ex-governador Alckmin está prevista para acontecer no próximo dia 23 de março, em Brasília. Governador de São Paulo por quatro oportunidades – antes havia exercido a função de vice-governador do então governador Mário Covas, a de deputado federal por São Paulo e de prefeito de Pindamonhangaba, cidade paulista do Vale do Paraíba – Alckmin chegou a concorrer ao cargo de presidente do Brasil em duas ocasiões. Na primeira, foi para o segundo turno contra o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. Em 2018, sua última tentativa, obteve uma votação aquém do que era esperado e não passou ao segundo turno.

A ida de Alckmin ao PSB, após 33 anos no PSDB – partido que ajudou a fundar nos anos de 1980 ao lado de Franco Montoro, Mário Covas e Fernando Henrique Cardoso -, sinaliza que o ex-governador poderá ser alçado ser o candidato a vice-presidente na chapa de Lula. O PSB, que teve entre seus quadros lideranças como Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco, e Eduardo Campos, neto de Arraes e também ex-governador de Pernambuco, pleiteia a vice-presidência na chapa majoritária com o PT.

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS