CEO do Grupo Hadassa, Garcia, articula vinda de centro tecnológico israelense de  piscicultura para a cidade de Marília

Continua depois da publicidade

Empresário anuncia cooperação entre Brasil e Israel para a composição de preços justos na produção de próteses capilares

O empresário e CEO do Grupo Hadassa, Jean Patrick Garcia, o Garcia, concedeu nesta quinta-feira, dia 9, duas entrevistas coletivas (uma no período da manhã e outra no período da tarde) quando detalhou os frutos e projetos de sua 45ª viagem internacional à Terra Santa. Entre os meses de maio e junho, Garcia realizou mais de 80 encontros e reuniões de negócios e chegou até ser recebido pelo ex-premiê de Israel e principal político do país, Benjamin Netanyahu. “Israel vende solução, não se trata de mágica, mas de inteligência”, observou Garcia durante a conversa que manteve com jornalistas, órgãos de imprensa e autoridades municipais na sede do Grupo Hadassa, em Marília. Entre as autoridades presentes estavam o atual presidente da Câmara Municipal, vereador Marcos Rezende (PSD) (esteve na coletiva no período da manhã), vereador Eduardo Nascimento (PSDB) (esteve no período da tarde) e a vereadora Vânia Ramos, líder dos Republicanos no Poder Legislativo de Marília, que compareceu nos dois momentos com a Imprensa. Durante a coletiva, a vereadora Vânia Ramos solicitou a palavra e informou que dentro dos próximos dias será votado no Legislativo um requerimento de sua autoria onde sugere a concessão de um título de Cidadão Mariliense para Garcia, que é nascido na cidade de Tubarão, em Santa Catarina, mas que escolheu Marília para viver com sua família e instalar a sede do Grupo Hadassa, conglomerado de 17 empresas dirigidas pelo CEO.

Piscicultura

O primeiro acordo de cooperação internacional na câmara de comércio que está se instalando entre Marília e Israel a partir do CEO Garcia consistirá na vinda de um centro tecnológico israelense para o desenvolvimento da piscicultura. Chamado de case, o complexo que incluirá tanques avançados e laboratórios para o aperfeiçoamento de técnica será instalado na zona rural de Marília, contudo o projeto não ficará restrito apenas ao Município. “A cidade será a base deste projeto, correspondendo ao ponto em que muitas pessoas virão para conhecer de perto a técnica. Além de tilápias, outras espécies serão incluídas no case e até mesmo peixes ornamentais”, detalhou. Espécimes de peixes ornamentais com potencial de mercado tanto em Israel, quanto no Brasil podem chegar até R$ 20 mil, informou Garcia. O segundo ponto apresentado nas perspectivas de negócios entre Brasil e Israel pela interlocução do CEO do Grupo Hadassa está associado à inteligência artificial israelense, com a chegada de câmeras autônomas com capacidade de identificação, leitura e acionamento em situação de risco.

Próteses capilares

Ao se encontrar com os principais rabinos de Israel, Garcia conseguiu tratado de cooperação para a confecção de próteses capilares (perucas) que serão utilizadas por mulheres em situações de tratamento e recuperação. Atualmente, os valores das próteses capilares são altíssimos, porém Garcia estudou uma forma de colocar no mercado israelense próteses capilares com know how brasileiro a preço justo. “O que acontece hoje consiste em valores abusivos e o povo judeu não quer nada de graça, apenas honrar um preço justo em cada prótese”, frisou.

Cidade-Irmã de Jerusalém

A proximidade de Garcia com Israel está motivando o CEO a sugerir que Marília se torne cidade-irmã de Jerusalém e, durante sua 45ª viagem à Terra Santa, Garcia se reuniu com o prefeito da capital de Israel para apresentar a Cidade Símbolo de Amor e Liberdade. “Quero solicitar que a nossa classe política, representada pelo presidente da Câmara Municipal, Marcos Rezende, pelo vereador Eduardo Nascimento e vereadora Vânia Ramos, juntamente com os demais vereadores, prefeito Daniel Alonso e vice-prefeito Cícero do Ceasa, possam desenvolver esta cooperação e estabelecer a condição de Marília e Jerusalém se tornarem Cidades-Irmãs, assim como é Higashihiroshima, no Japão”, solicitou o empresário.

Ainda no campo da irmandade internacional e tratado de compartilhamento de saberes, Garcia estuda a aproximação de outras cidades de Israel com municípios de todos os Estados do Brasil, tanto que já iniciou a interlocução com autoridades brasileiras e israelenses para a formação de uma caravana com prefeitos do Brasil numa missão oficial à Terra Santa. A iniciativa está sendo chamada de Fórum de Prefeitos para Israel. “O povo de Israel e o povo do Brasil possuem identidade e sintonia. Israel é a terra da Bíblia e existe um amor recíproco entre os dois povos. Além disso, quando o diplomata brasileiro Oswaldo Aranha presidiu a ONU, em 1948, houve a criação do Estado de Israel e o povo israelense jamais esqueceu disso. Existe um ditado judaico que diz: a gratidão é a memória do coração”, concluiu Garcia.

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS