É verdade que a ressaca piora com a idade?

Continua depois da publicidade

Pesquisa encomendada pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig) mostrou que 55% da população brasileira com mais de 18 anos tem o hábito de consumir bebidas alcoólicas. Com o tempo, as pessoas respondem de maneiras diferentes ao álcool e a ressaca vai ficando cada vez pior com o passar dos anos.

De acordo com o médico Wagner Barbi, endocrinologista do Sistema Hapvida, isso acontece devido ao próprio envelhecimento celular e da capacidade reduzida do fígado em acetilar os produtos tóxicos liberados pelo álcool. “Assim como todo o organismo, o fígado envelhece com a idade, principalmente pelas agressões sofridas por comorbidades como hipertensão, diabete, deslipodemias e obesidade”, explicou.

O álcool ingerido se transforma em uma substância tóxica para o corpo chamada acetaldeído. Ela age principalmente no sistema nervoso central contribuindo para perda de memória, diminuição dos reflexos, sonolência e dependendo da quantidade, o coma. “No fígado, essa toxina altera a produção de enzimas causando diminuição do metabolismo do álcool consumido, inflamação celular e, dependendo da quantidade e do tempo, podem ocorrer hepatite e cirrose”. destacou.

O especialista mencionou que para minimizar os efeitos nocivos é importante estar bem alimentado para diminuir a biodisponibilidade do álcool levando a uma menor absorção. “Durante o consumo de bebidas alcoólicas é importante tomar água. Ela ajuda a diluir o álcool que está sendo consumido contribuindo para a diminuição dos seus efeitos tóxicos, bem como a desidratação”, disse.

Wagner Barbi alertou que o consumo excessivo de bebidas pode impactar não apenas a saúde, mas também nas relações interpessoais, familiares e laborais. “A pessoa que faz uso diário e principalmente abusivo de bebidas alcoólicas não tem um bom rendimento no trabalho, não conseguem administrar suas contas, não conseguem organizar, planejar e estruturar sua vida”.

Quando procurar um médico?

Para ele, o melhor momento de procurar um médico é quando se percebe que aquela dose diária de álcool é necessária, que sem ela você não relaxa, não dorme, não dá risada, não conversa. “Realizando a abordagem correta junto com uma equipe multidisciplinar, fazer com que evite pessoas, lugares e hábitos é possível recuperar a vida de volta, retomar o prazer por coisas simples, progredir na sua carreira e conquistar a confiança da família e de amigos.”

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS