Governo lamenta a morte do filósofo e professor Olavo de Carvalho

Continua depois da publicidade

Escritor, radicado nos EUA, faleceu aos 74 anos de idade neste terça, 25

do Diário de Notícias Marília

O pensador Olavo de Carvalho, autor de mais de 40 livros, faleceu nesta terça-feira, dia 25 de janeiro, em Richmond, nos Estados Unidos. Radicado na América do Norte há décadas, Olavo de Carvalho dominou a cena política nos últimos anos em função de sua identidade ao modelo político adotado por Jair Bolsonaro, atual presidente do Brasil.

Nascido em Campinas, interior de São Paulo em 29 de abril de 1947, detinha a admiração de grandes pensadores brasileiros, como Roberto Campos, que o identificava como filósofo de grande erudição. Para o escritor e jornalista Jorge Amado, ex-deputado federal por São Paulo, Olavo de Carvalho possuía reconhecida competência na área da filosofia.

Para o jornalista Paulo Francis, o escritor ia dos filósofos que fizeram a tradição ocidental de pensamento, dando ao leitor jovem a oportunidade de atravessar esses clássicos. E para Ives Gandra Martins, “Olavo é o mestre de todos nós”. O filósofo também foi reconhecido por grandes escritores brasileiros, entre eles Herberto Salles, Josué Montello, Ariano Suassuna, Antônio Olinto, Hilda Hilst e Miguel Reale.

“De contribuição inestimável ao pensamento filosófico e ao conhecimento universal, Olavo deixa como legado um verdadeiro apostolado a respeito da vida intelectual, com uma vasta obra composta de mais de 40 livros e milhares de horas de aulas. Entre suas inúmeras contribuições, defendeu a primazia da consciência individual; apresentou uma inédita e inigualável teoria sobre os quatro discursos aristotélicos; teceu valiosas considerações sobre o conhecimento por presença e originais análises sobre as etapas do desenvolvimento da personalidade humana; além de inúmeras outras contribuições que inspiraram e influenciaram dezenas de milhares de alunos e leitores – inclusive, levando muitos à conversão à fé, segundo incontáveis relatos”, afirmou o governo brasileiro em nota oficial.

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS