Nuclep ratifica expertise nuclear com revalidação do certificado ASME II da britânica LRQA

Continua depois da publicidade

Ratificando sua importância na fabricação dos equipamentos nucleares mais estratégicos para o Brasil, a NUCLEP conquistou por mais três anos, em auditoria realizada na última semana pela britânica LRQA, o selo especial ASME III Edição 2021 (Survey) – Certificação para a área Nuclear.

Com a revalidação do selo, a NUCLEP se mantém como uma das duas únicas empresas na América do Sul a ter esse reconhecimento pela American Society of Mechanical Engineers (Sociedade Norte-americana de Engenheiros Mecânicos). A auditoria dessa vez foi feita através de forma remota, o que representou grande desafio para a Gerência de Sistemas de Gestão de QSMS e Garantia da Qualidade que se superou na tecnologia ao apresentar os métodos e normas nas instalações fabris através de vídeos transmitidos ao vivo.

A certificação qualifica a NUCLEP para desempenhar as seguintes modalidades: fabricação de componentes nucleares (selo NPT), fabricação de suportes para aplicação nuclear (selo NS) e montagem de equipamentos para aplicações nucleares (selo NA).  Para o diretor-comercial Nicola Mirto Neto, “a expertise, capacidade e habilidade diferenciadas dos funcionários da empresa se provam mais uma vez. Vale ressaltar ainda que o único engenheiro certificado pela Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos como Nível III em Ensaios Não Destrutivos no país é da NUCLEP, o altamente qualificado Gerente Geral de Fabricação e Supervisão Nível III, Cézar França”, celebrou. 

O gerente de sistemas de Gestão de QSMS e garantia da qualidade, Rodrigo Lopes Chaves, comentou sobre a conquista. “Mais uma vez a NUCLEP comprovou sua capacidade técnica junto ao ASME, sendo reconhecida e elogiada por toda a equipe da auditoria, sem nada fora das conformidades, repetindo o mesmo resultado de 2018. Toda a força de trabalho está de parabéns pois nos últimos meses batalhou duro, sem medir esforços para que tudo saísse perfeito e foi realmente o que aconteceu”.

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS