Justiça decreta prisão preventiva de cônsul da Alemanha no Rio de Janeiro após morte de marido

Continua depois da publicidade

Uwe Hahn foi preso suspeito de matar o companheiro

A Justiça do Rio de Janeiro decretou domingo, dia 7, a prisão preventiva do cônsul da Alemanha Uwe Herbert Hahn. Ele foi preso em flagrante no sábado, dia 6,, suspeito de matar o companheiro, o belga Walter Henri Maximilen Biot na última sexta-feira, dia 5 de agosto.

O cônsul foi submetido no domingo a uma audiência de custódia, na cadeia de Benfica, onde está preso. Segundo a Justiça, a defesa do diplomata pediu o relaxamento da prisão alegando imunidade consular, mas o juiz Rafael de Almeida Rezende considerou que o homicídio, ocorrido no imóvel do casal, não guarda qualquer relação com as funções consulares.

O juiz levou em consideração a existência de diversas lesões no corpo da vítima, uma delas compatível com pisadura e outra com emprego de instrumento cilíndrico (como um bastão) e a constatação de manchas de sangue no quarto do casal e no banheiro. 

Para o magistrado, a manutenção da prisão é importante para evitar riscos à coleta de provas e a fuga do suspeito.

O Consulado Geral da Alemanha no Rio de Janeiro divulgou a seguinte nota à imprensa: “A Embaixada da Alemanha em Brasília e o Consulado Geral no Rio de Janeiro estão em estreito contato com as autoridades brasileiras neste caso. Pedimos a sua compreensão de que, por razões de privacidade pessoal, não podemos atualmente fornecer mais informações sobre a pessoa ou detalhes do caso.”

Compartilhe esse conteúdo

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA
mAIS